QUEM SOMOS

QUEM
SOMOS

A gente trabalha e se apaixona…

A Pallavra Certa é uma agência que sempre busca para seus clientes o layout e o design certos, a mídia e as ações de marketing certas, o planejamento certo, no prazo certo. Enfim, nosso nome é Pallavra, mas Certa é toda a nossa forma de comunicação integrada para atingir aos objetivos estabelecidos.

E tem mais! Somos apaixonados pela comunicação há três gerações, trabalhamos sem deixar para trás nossas bases, nosso caráter, a vontade de aprender, o relacionamento sincero, o desejo de inovar e a competência, que para nós é essencial.

Posicionamento

Desde a sua criação, a Pallavra Certa se posiciona de forma ética e responsável. E isso significa que a agência tem orgulho não só em participar da construção de uma sociedade sustentável e justa, mas também de ser uma empresa solidária. Responsabilidade social para nós é mais que um compromisso assumido, é um valor para a empresa.

  • Associada ao Instituto Ethos de Responsabilidade Social
  • Aderiu ao Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção
  • Aderiu ao Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo
Busca

Temos orgulho de ser, cada vez mais, uma empresa reconhecida no mercado de comunicação. Isso porque a busca pela excelência é nossa preocupação constante.

Desde abril de 2004 somos certificados pelo Conselho Executivo de Normas Padrão – CENP, entidade responsável pela verificação da capacidade técnica das agências de publicidade no Brasil, e desde janeiro de 2005 pelo Sinapro-MG, único representante dos Poderes Públicos para a fiscalização das atividades da propaganda em Minas Gerais, no cumprimento da Lei 4.680/65 e dos Decretos 57.690/66 e 2.262/97.

Reconhecimento

Criatividade que gera resultados para o cliente e para a agência.

  • Concurso Newad – Preferidos do Juri
  • Clube de Criação Publicitária de Minas Gerais – Shortlist
  • Prêmio Aberje – Finalista Norte Nordeste
  • Prêmio Apple – Finalista
cenp

Um ilustre amigo

ziraldo2Sêo Leonel Fontoura era monarquista. E acreditava na força da palavra escrita. Tanto que, na década de vinte, fundou um jornal na minha cidade, para defender os interesses da comunidade e as suas idéias. O jornal chamava-se O MUNICÍPIO e anunciou o nascimento do robusto rebento do casal Geraldo Pinto e sua digníssima esposa, Dona Zizinha. O ano era o de 1932 e o rebento era eu, o locutor que vos fala.

Nosso grupo escolar se chamava Benedito Valadares e era igual a todos os grupos escolares chamados Benedito Valadares que o Chico Campos mandou construir por Minas Gerais inteira. Pois não é que, embora o prédio fosse um beneditovaladares autêntico, o nome do grupo foi trocado pelo da Princesa Isabel que nunca ouviu falar em Caratinga mas era a ídola do Sêo Leonel Fontoura!? Foi a primeira prova da força da imprensa que eu assisti na minha vida!

A crença do Sêo Leonel Fontoura na sua missão era de tal ordem que, quando Hitler invadiu a França, O Município anunciou em manchete: “Hitler nem pense em contar com nosso apoio!”

É com esta fé herdada que Marcelo e Heber — que conheço desde os tempos em que eu balançava o turíbulo e ele batia a campainha nas rezas de Maio — continuam hoje, com a palavra certa, ou melhor a PALLAVRA CERTA, a missão do velho e fraterno amigo do meu pai — as duas ruas com seus nomes fazem esquina em Caratinga a de saber usar, para os devidos fins, o poder do verbo. Que, aliás, estava no princípio de tudo, como sabemos.

Sem-título-1